Categorias
Sem categoria

A startup brasileira que ficou entre as cinco melhores soluções do mundo pelo Pandemic Challenge, da Singularity University

Seguindo metodologias ágeis e contando com colaboração internacional, a empresa brasileira especializada em biotecnologia Visto.Bio deu vida a um cosmético patenteado globalmente que ficou entre as cinco melhores soluções do mundo pelo “Pandemic Challenge” da Singularity University.

O reconhecimento se deve à ideia inovadora de unir ao processamento molecular do álcool com princípios ativos de óleos essenciais nativos do Brasil com capacidade antiviral comprovada, resultando em um produto que protege por até 24 horas contra microorganismos.

Com o reconhecimento da pandemia pela Organização Mundial da Saúde em março deste ano, a empresa passou a desenvolver a nova versão de uma fórmula criada em 2014 que, além de proteger contra microorganismos, é eficaz para evitar a propagação de vírus.

“Criamos a marca com objetivo de gerar transformações nos hábitos da sociedade, na busca por um equilíbrio entre pessoas, roupas e planeta. São transformações de hábitos e consumo que já estavam em curso e, em situações como a atual, são aceleradas”, conta Renan Serrano, fundador da empresa criada para incentivar as pessoas a lavarem menos suas roupas, reduzindo impactos ambientais – desde o consumo de água e produtos químicos nas lavagens, até o aumento da durabilidade das peças.

A nova fórmula do Visto.Bio Antisséptico já possui certificações de laboratórios habilitados pela Anvisa para uso seguro, não prejudicial a crianças, animais e plantas. O produto confere de forma biotecnológica, inodora e hipoalergênica uma assepsia 100% natural, agindo como uma barreira protetiva aliada no combate à disseminação de doenças e microorganismos, reduzindo cargas virais.

No final de 2019, a empresa recebeu aporte de 1,2 milhão de reais, sendo o maior cheque da história da Anjos do Brasil. A marca já possui parceiros de varejo como Farm, Animale, Natalie Klein e Carrefour, interessados na proteção de clientes e colaboradores. Conversamos com o fundador e CEO da Visto.Bio, Renan Serrano.

No processo de pesquisa e criação de produtos da Visto.Bio como se dá a busca por inovação?
Serrano – Hoje, temos um fluxo de inovação que se dá de maneira rápida. Identificamos os problemas na sociedade, buscamos mensurar o impacto desses problemas na vida das pessoas e no meio ambiente, e em uma semana validamos se essa situação é passível de ser solucionada.

Durante a pandemia, elencamos dez cenários e conseguimos evoluir em três. O primeiro foi a necessidade de um produto antisséptico, que acabou nos tornando a primeira startup do país a entregar essa solução para o mercado. Por ser um produto cosmético, hipoalergênico, dermatologicamente testado e sustentável em sua cadeia, acabou levando a um segundo cenário, em que o produto age como desodorante – podendo ser usado em diferentes superfícies (tecidos variados, corpo e cabelo). O terceiro cenário é disponibilizar nossa equipe de pesquisa e desenvolvimento para apoiar empresas e startups em qualquer estágio de maturidade para trabalharmos em conjunto, avaliando possibilidade e viabilidade. Ajudamos a avaliar a questão das patentes, a pesquisa de mercado, enfim, no que for possível. Diferentemente de uma aceleradora que tem interesses financeiros, nosso objetivo é fomentar uma rede de apoio.

Qual a sensação de ter a Visto.Bio sendo eleita como uma das cinco melhores soluções do mundo pelo Pandemic Challenge da Singularity University?
Serrano – A equipe ficou muito feliz. Foi um reconhecimento importante, que nos deu mais confiança. No Brasil, a inovação não tem tanto mérito. Um exemplo disso foi o produto desodorante que poderia ser aplicado na roupa. A Anvisa nos informou que não há categoria de desodorante para uso em roupas. Segundo o órgão regulador, ou é desodorante ou não é desodorante. Ou seja, a inovação ainda é bastante reprimida em território nacional por questões de esferas maiores.

Entre desistir e abandonar o país para criar em lugares mais abertos, optamos por permanecer e levantar a bandeira para ajudar o Brasil a se colocar como um dos principais pólos de inovação, pesquisa e desenvolvimento do mundo. Essa premiação nos ajuda a mostrar que há coisas boas feitas no Brasil e que o mundo deve continuar de olho em nós.

Quando a Visto. Bio lançou no mercado uma solução antisséptica com óleos essenciais dificilmente imaginaria que em alguns anos o mundo precisaria exatamente desse tipo de produto. Agora que atravessamos uma pandemia, qual a inovação a empresa tem em mente?
Serrano – Acreditamos que ainda estamos no processo de enfrentamento da pandemia e, infelizmente, pode ser a primeira de diversas que ocorrerão em períodos cada vez menos espaçados. O intuito é continuarmos evoluindo nossa fórmula, visando uma proteção permanente de maneira não-tóxica, saudável para as pessoas e também para o planeta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *